• contato@coordenare.com.br
Boletim Epidemiológico

Canal: Novidades

No Ceará, de outubro de 2015 a 18 de março de 2016, foram notificados 417 casos. Destes, 16,3% (68/417) foram confirmados, 24,0% (100/417) foram descartados e 59,7% (249/417) estão em investigação (definições ao lado). Do total de notificados, 83,2% (347/417) foram detectados no pós-parto e 16,8% (70/417) durante a gestação. Dos casos confirmados, 86,8% (59/68) foram encerrados por critério clínico-radiológico e 13,2% (9/68) tiveram diagnóstico laboratorial confirmado para vírus zika.

 Em relação à distribuição geográfica dos casos por residência da mãe, 91 municípios notificaram casos suspeitos, sendo que 36,3% (33/91) confirmaram casos, localizados em 18 (dezoitos) Regionais de Saúde.

 

RECOMENDAÇÕES PARA POPULAÇÃO:

 Em consonância com o Ministério da Saúde do Brasil, o Estado do Ceará recomenda:

 * Gestantes: utilização do repelente tópico, considerando a relação causal entre o Zika vírus e os casos de microcefalia relacionada ao vírus Zika diagnosticados no país. Estudos indicam que o uso tópico de repelentes a base de DEET por gestantes não apresenta riscos (mais informações podem ser obtidas no endereço j.mp/nota_repelentes).  

* Repelentes ambientais: a utilização correta dos saneantes regularizados na ANVISA submete a população apenas aos riscos ambientais ocasionados pelo possível contato com as substâncias químicas presentes nas formulações. Cabe destacar que esses produtos não devem ser indicados ou utilizados diretamente em seres humanos, mas em superfícies inanimadas e/ou ambientes, seguindo sempre, com atenção, as orientações do fabricante (mais informações podem ser obtidas no endereço j.mp/nota_saneantes).

*  É importante que as gestantes realizem um acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelo médico.  

* Gestantes não devem consumir bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas, não utilizar medicamentos sem orientação médica e evitar contato com pessoas com febre ou infecções.  

* A população deve adotar medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas. Gestantes devem usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

RECOMENDAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE:

Considerando o quadro epidemiológico atual, a SESA/CE recomenda às Secretarias Municipais de saúde a adoção das ações a seguir.  

  • Divulgar aos profissionais de saúde a definição padronizada de casos suspeitos de microcefalia e alterações do SNC relacionada à infecção, e protocolo clínico padronizado para a assistência adequada aos pacientes;
  • Reforçar as ações de prevenção e controle vetorial em áreas urbanas e peri-urbanas, conforme estabelecido nas Diretrizes Nacionais do Programa Nacional de Controle da Dengue;
  • Está disponível Protocolo de Vigilância e Resposta à ocorrência de Microcefalia e Malformações Congênitas Relacionadas a Infecções Perinatais, em LINK:

http://www.saude.ce.gov.br/index.php/boletins  

Notificar imediatamente os casos suspeitos, por meio do formulário de Registro de Eventos de Saúde Pública referente as microcefalia e alterações do SNC relacionada à infecção no seguinte link:

http://resp.saude.gov.br

 

Maiores Informações:

file:///C:/Users/f1484/Downloads/boletim_microcefalia_22_03_2016%20.pdf

Fonte: Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde | Núcleo de Vigilância Epidemiológica | Secretaria da Saúde do Estado do Ceará